Prefeito de Carmo rebate denúncias de corrupção, mas mente sobre processo

Prefeito de Carmo rebate denúncias de corrupção, mas mente sobre processo

Por Jornal Expresso 07/03/2018 - 09:05 hs

Prefeito de Carmo rebate denúncias de corrupção, mas mente sobre processo
Acima o prefeito e sua postagem na rede social e a notícia oficial do MPF desmentindo ele

O prefeito da cidade de Carmo, na região serrana do estado, usou as redes sociais para rebater a denúncia, publicada ontem pelo Expresso Regional de peculato e devolução de parte dos vencimentos de servidores a agentes públicos. As denúncias são semelhantes a que levaram, na semana passada, o vereador Neto Macaé (PTC) a ser preso em flagrante pela polícia federal. Segundo fontes do Expresso, uma denúncia já foi encaminhada à PF de Macaé denunciando o caso de Carmo.

Em vídeo em seu perfil no Facebook, o prefeito afirma que o jornal fala de "processo que não existe" e que vai realizar um Boletim de Ocorrência na delegacia local contra o jornal. No entanto, o prefeito foi condenado sim pela Justiça Federal por não disponibilizar informações sobre vencimentos de servidores no Portal da Transparência. Mesmo intimado pelo MPF a cumprir a decião em 60 dias, a Prefeitura continua negando acesso ás informações dos servidores. 

Denuncia sobre os Correios — A Câmara Municipal de Carmo aprovou um requerimento pedindo informações sobre o fechamento do Posto do Correios da localidade de Barra de São Francisco, na Zona Rural de Carmo. De acordo com fontes do Expresso, há também indícios de irregularidades na obra do posto que podem gerar um novo escândalo e uma nova denúncia na PF de Macaé. Na próxima edição do Expresso, mais detalhes sobre a denúncia serão revelados. 

Entenda o caso: O bucólico Município de Carmo, localizado na região serrana do Estado, está sendo alvo de denúncias sobre suposto desvio de verba pública através da prática do crime de peculato, crime este previsto no artigo 312 do Código Penal que trata da apropriação por parte de funcionário público, de dinheiro, valor ou qualquer outro bem privado de que tenha a posse em razão do cargo, ou desviá-lo em proveito próprio ou alheio”.

Segundo uma fonte do jornal, o prefeito do município César Ladeira (PSB) e a ex- secretária de educação Jaqueline Cruz, com o objetivo de alcançar índices positivos na educação municipal, criaram um esquema ilegal de pagamento de horas extras a professores concursados da rede municipal que eram obrigados no final do mês a devolver o dinheiro para os referidos agentes políticos para em ato contínuo pagarem pessoas estranhas ao poder público para lecionarem nas escolas municipais, sem qualquer tipo de seleção prévia.

O ato praticado além de constituir crime de peculato, envolve o uso de verbas federais do FUNDEB, situação que atrai por si só a competência fiscalizatória de órgãos federais, além de constituir ato de improbidade administrativa, uma vez que a prática é uma verdadeira burla ao concurso público.

Levantamento feito pela equipe do jornal Expresso, aponta que o líder da oposição no Município, o combativo vereador Juliano de Souza Braga(PSC) teria levado o caso a Polícia Federal de Macaé, na denúncia também consta que a ex- secretária de educação autorizada pelo atual prefeito César Ladeira teria alugado um imóvel em seu nome para servir de creche, à valores superiores ao de mercado, tudo isso pago com dinheiro dos cofres públicos do município.

Fontes ligadas ao vereador, afirmam que novos documentos estarão a caminho de Macaé nos próximos dias, incluindo áudios de conversas entre agentes políticos. O caso é semelhante ao ocorrido na última semana na Câmara Municipal de Macaé e que levou a prisão de vereadores e assessores pela Polícia Federal.

César Ladeira, segundo informações locais é um político populista e ganhou notoriedade na região com a sua atuação nos Natais Carmenses e de municípios vizinhos, aonde chegava às festas de helicóptero trajando a vestimenta de Papai Noel para distribuir presentes para as crianças, além de ter tido uma passagem pelo legislativo municipal.

Acredita-se que é possível que investigações sobre o caso cheguem brevemente ao Carmo, e talvez, pelo ritmo da coisa, bem antes das festas natalinas.

 

 

Veja abaixo o vídeo do prefeito se explicando