Weather United States of America, New York United States of America, New York +5°C

Jornal Expresso Regional Online

Vai aumentar “Dilmais”

Vai aumentar “Dilmais”

March 16
19:12 2015

Preparem os bolsos! O reajuste tarifário anual autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica para a Ampla (RJ) será de 48,14% e vai resultar em aumento médio de tarifas de 42,19% para todos os consumidores da concessionária. Na prática isso significa que, as contas de luz baseadas na medição de março, que chegarão no próximo mês, já chegarão mais caras. Para os consumidores de Macaé, que já pagam os alugueis, mensalidades escolares e combustíveis mais caros do estado, a notícia, naturalmente gerou revolta.


O impacto médio será de 36,41% para os clientes atendidos em baixa tensão e de 56,15% para o segmento de alta tensão. As novas tarifas serão aplicadas a partir do próximo dia 15 de março e refletem o aumento das despesas da Conta Desenvolvimento Energético e da tarifa de repasse de Itaipu, além do inicio do pagamento do empréstimo da Conta ACR. O efeito do reajuste será maior para a indústrias, que carregam uma cota mais elevada da CDE.


Para os consumidores macaenses, mesmo antes do aumento efetivamente funcionar, o impacto nas contas já é grande. Isso porque, o preço da energia comprada pelas concessionárias como a Ampla já havia sofrido um reajuste. Agora, com mais este acréscimo, a coisa vai piorar ainda mais. “Minha conta de luz já subiu de R$ 42 para R$ 120. E olha que eu estou economizando. Lá em casa quase não se usa mais chuveiro elétrico”, conta a comerciária Michele Franco. A servidora municipal Rosângela Correa, outra consumidora macaense, também não está nada satisfeita com o reajuste. “Além dos aumentos, a empresa presta um péssimo serviço à população”, desabafa.


O jeito é economizar

Para contrabalancear os freqüentes aumentos, muitos consumidores estão fazendo o que podem para economizar. Na casa da pedagoga Mariana Henriques, o tempo de banho das duas filhas adolescentes agora é cronometrado. “Cinco minutos, no máximo”, conta. Os condicionadores de ar, dos dois quartos e da sala foram substituídos pelo bom e velho ventilador e, nos dias mais frescos, a janela aberta já basta. “Precisamos fazer o que podemos. Com esta economia, minha conta caiu de R$ 320 para R$ 240, mesmo com os aumentos do governo. Conta. 

O engenheiro elétrico Ronaldo Nascimento, aprovou as medidas de Mariana e dá outras dicas para quem não quer ter sustos na hora da conta. “Se trocarmos 15 lâmpadas florescentes comuns, compactas, por 15 lâmpadas led, com seis horas de uso de cada uma delas, a sua próxima conta teria uma redução de R$ 25”, fala o engenheiro.


Se o consumidor está pensando em trocar algum eletrodoméstico, deve ficar de olho as etiquetas. Elas mostram a eficiência energética de 28 produtos. Comprar um aparelho com classificação “a” - o mais eficiente - em vez de um com a letra “e” - o menos eficiente - alivia a conta de luz.


Em um ano, a economia pode chegar a R$ 60 no caso das geladeiras de uma porta – R$ 176 no aparelho de ar-condicionado de nove mil BTUs; e R$ 432 no chuveiro elétrico. Graças às etiquetas, os brasileiros economizaram, em dez anos, quase R$ 26 bilhões.

O impacto médio será de 36,41% para os clientes atendidos em baixa tensão e de 56,15% para o segmento de alta tensão.

O impacto médio será de 36,41% para os clientes atendidos em baixa tensão e de 56,15% para o segmento de alta tensão.

Share

Related Articles

0 Comments

No Comments Yet!

There are no comments at the moment, do you want to add one?

Write a comment

Write a Comment

Your email address will not be published.
Required fields are marked *

Publicidade

Publicidade

CURTA NO FACEBOOK

'