Weather United States of America, Seattle United States of America, Seattle +1°C

Jornal Expresso Regional Online

Violência explode na região

Violência explode na região

Violência explode na região
November 24
08:48 2014
A região teve aumento em quase todos os índices criminais este ano

A região teve aumento em quase todos os índices criminais este ano

Na última segunda-feira, dia 17, centenas de pessoas foram às ruas de campos protestarem contra a violência que, este ano, já ceifou a vida de 176 pessoas no município. E, Campos, infelizmente, não é a única cidade que vem registrando aumento no número de assassinatos. Dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) revelam que a violência cresce sem controle em toda a região. Na área do 32º Batalhão de Polícia Militar (Macaé) já foram 137 assassinatos este ano. Em relação a 2013, os demais índices criminais, tal como em Campos, também tem aumentado na região, com destaque para Macaé e Rio das Ostras. Por exemplo, o número de estupros que já era alto (144 em 2013) cresceu ainda mais. Este ano, de janeiro a setembro (os dados de outubro e novembro ainda não foram fechados) já foram 179 mulheres, jovens e adultas violentadas.

O levantamento leva em consideração as ocorrências registradas nos municípios de Macaé, Rio das Ostras, Casimiro de Abreu, Conceição de Macabu e Quissamã. Os dados do instituto compreendem os meses de janeiro a setembro deste ano, em relação ao mesmo período de 2013. De acordo com o levantamento, o número de assassinatos na região saltou de 103 para 137. Além disso, o número de tentativas de homicídios (como ocorreu na última sexta-feira em Macaé) explodiu: passou de 134 para 229. Porém um dos números mais alarmantes é o de roubos a transeuntes (assaltos). Entre janeiro e setembro de 2013 foram 865 crimes. Este ano, já foram registrados 1.143.

Além das estatísticas oficiais, há também diversos relatos de crime pela internet. No site “Onde Fui Roubado” (que funciona como uma espécie de ouvidoria popular sobre segurança) há o relato de 61 crimes apenas em Macaé e de 71 em Rio das Ostras só em 2014. “Cerca de 20 passos depois da “Praça do Habibs”, o assaltante que estava andando na nossa frente, cerca de 10m de distância, parou, virou e anunciou o assalto mostrando a arma de fogo. Levou meu celular e o de minha namorada.”, relatou o morador Rodrigo* sobre um assalto sofrido em na Rua Agenor Caldas.

Sai da faculdade as 20:30h. Na subida da rua próxima ao Hotel Dubai, dois elementos em uma moto azul, com a placa amassada e armados me cercaram. Roubaram minha moto “Fazer” e um telefone que foi rastreado e o destino foi Lagomar, Rua W18, primeira rua sem saída do lado direito e última casa do lado direito foi o destino do GPS do celular. Polícia não achou nada”, relatou Antônio Carlos, outra vítima de assalto.

Dados mascarados — Apesar de alarmantes, os dados oficiais do Governo do Estado não mostram a real situação da violência na região, que pode ainda ser bem pior. Isso porque, boa parte das vítimas sequer chegam a registrar ocorrência na delegacia e estes crimes deixam de ser oficialmente contados pela polícia. Além disso, não são poucos os relatos de vítimas dos mais diversos crimes dando conta da dificuldade em registrar uma ocorrência nas delegacias policiais da região. “Além de esperar duas horas por um atendimento na 123ª DP, quando cheguei ao balcão fui atendido por um jovem que, simplesmente, se recusou a registrar a minha ocorrência, alegando que eu não tinha testemunha”, relatou Maurício*, vítima de uma “saidinha de banco” no início de agosto.


*Obs.: os nomes das vítimas foi trocado por nomes fictícios para proteger sua identidade.

Share

Related Articles

0 Comments

No Comments Yet!

There are no comments at the moment, do you want to add one?

Write a comment

Write a Comment

Your email address will not be published.
Required fields are marked *

Publicidade

Publicidade

CURTA NO FACEBOOK

'