camara corona

Léo Índio deixa gabinete de senador flagrado com dinheiro na cueca

Por Redação em 16/10/2020 às 20:59:51

Primo dos filhos de Jair Bolsonaro, Léo Índio pediu nesta quinta-feira, 15, demissão do cargo que ocupava no gabinete do senador Chico Rodrigues, flagrado com mais de R$ 30 mil na cueca pela Polícia Federal(PF) em uma investigação sobre supostos desvios de recursos destinados ao combate do novo coronavírus no estado de Roraima. A decisão confirmada pelo gabinete do senador nesta sexta é mais uma forma do presidente se descolar da polêmica. Leonardo Rodrigues de Jesus passou a trabalhar no gabinete de Chico Rodrigues em abril, um mês após o senador assumir o posto de vice-líder do governo no Senado.

O senador deixou de ser vice-líder do Senado um dia depois da operação da PF. Em vídeo divulgado na quinta, ele afirmou que vai comprovar a própria inocência. Durante transmissão ao vivo, o presidente Jair Bolsonaro fez questão de ressaltar que Chico Rodrigues era uma pessoa querida por todos e foi bem recomendado, mas que não é representante direto do governo federal. Na ocasião, ele frisou que o governo é representado por aqueles que fazem parte do executivo e da esplanada dos ministérios.

Leia também

Barroso pede que plenário do STF julgue afastamento de senador que escondeu dinheiro na cueca

Tentativa de reeleição de Alcolumbre atrasa reformas e mostra prioridade de senadores, diz Constantino

Bolsonaro diz que acabou 'pacote de maldades' para homem do campo

Bolsonaro lembrou, ainda, que o governo é composto por 18 vice-líderes no congresso nacional e que eles são indicados por lideranças partidárias. Além do presidente, o Democratas, partido de Chico Rodrigues, o pressiona a pedir licença para tentar se descolar da imagem de corrupção pouco antes das eleições municipais. O pedido de afastamento do senador do cargo, solicitado por Luís Roberto Barroso, deve ser analisado em plenário no Supremo Tribunal Federal (STF).

*Com informações da repórter Luciana Verdolin

Fonte: JP

Comentários